quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Primavera



Quando o inverno chegar
Eu quero estar junto a ti
Pode o outono voltar
Eu quero estar junto a ti

Porque (é primavera)
Te amo (é primavera)
Te amo, meu amor

Trago esta rosa (para te dar)
Trago esta rosa (para te dar)
Trago esta rosa (para te dar)

Meu amor
Hoje o céu está tão lindo (vai chuva)
Hoje o céu está tão lindo (vai chuva)

Hoje o céu está tão lindo (vai chuva)
Hoje o céu está tão lindo (vai chuva)



Composição: Cassiano / Sílvio Rochael

Amo a Primavera. Estação bonita e alegre.


terça-feira, 23 de agosto de 2016

Meditação


A vida é uma história divina.
Podemos tocar em sintonia com o todo - isso traz felicidade.
E sempre que você se sentir feliz, aprenda com esse momento.
Então lembre-se como isso aconteceu e crie o mesmo contato repetidamente, para que isso possa acontecer mais e que possa acontecer com mais profundidade."

Osho

terça-feira, 2 de agosto de 2016

15 Coisas Que Você Deveria Desistir para Sempre!!!



1. Sua necessidade de estar sempre certo
2. Da sua necessidade de controle
3. Da culpa
4. Da conversa interior derrotista
5. Das crenças limitantes
6. De reclamar
7. Da luxúria das críticas
8. Da sua necessidade de impressionar os outros
9. Da resistência à mudança
10. Desista das etiquetas, pare de etiquetar coisas, pessoas ou eventos que você não entende.
11. Dos seus medos
12. Das suas desculpas
13. Do seu passado
14. Do apego
15. De viver sua vida através das expectativas de outras pessoas

by Luminita D. Saviuc

quarta-feira, 27 de julho de 2016

"Cuide do seu jardim interno"




Pensei em escrever sobre a ligação do jardim de nossas mentes e os jardins que cuidamos.

Quando eu trabalho em meu jardim, enriquecendo o solo, plantando, colhendo e reciclando, sinto esta unidade, esta união. Eu pego uma pequena parte da terra improdutiva, cheia de ervas daninhas e, lentamente, transformo-a em um solo rico que apoiará a vida em todas as suas muitas formas. É como pegar uma parte de nossa mente que está cheia de pensamentos e padrões destrutivos e nutri-la, de modo que ela possa criar e apoiar experiências saudáveis e positivas.

Nós curamos as nossas mentes. Curamos as nossas almas. Curamos os nossos solos. Ajudamos a criar um planeta saudável, onde todos podem prosperar e viver com alegria e tranquilidade. Mas só quando nos amarmos é que poderemos realizar esta cura. Só quando nos amarmos e nos tornarmos em sintonia com a natureza, é que poderemos transformar a nossa Terra em jardins férteis. Quando você perceber a minhoca em seu jardim, saberá que criou um ambiente que apoiará a vida.

Bem no centro do seu ser, existe uma fonte infinita de tudo o que irá precisar. Eu sou uno com toda a vida. Estou em sintonia com as estações, com o clima, com o solo, com a vegetação e com cada criatura que vive na terra e nos oceanos e que voa no ar. Não pode ser de outra forma. Todos nós usamos o mesmo ar, o solo e a água. Somos totalmente interdependentes uns dos outros. 
E assim é!

Vamos afirmar: “Tudo o que eu preciso saber a qualquer momento, revela-se para mim.”

Com amor,

Louise Hay

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Dono da verdade - Os sete sábios


Sete sábios, cada um de uma religião, discutiam qual deles conhecia, realmente, a verdade.
Um rei muito sábio que observava a discussão aproximou-se e perguntou:
-O que vocês estão discutindo?
-Estamos tentando descobrir qual de nós é dono da verdade.
Ao escutar isso, o rei, imediatamente, pediu a um de seus servos que levasse sete cegos e um elefante até o seu castelo.
Quando os cegos e o elefante chegaram ao palácio, o rei mandou chamar os sete sábios e pediu-lhes que observassem o que aconteceria a seguir.
O sábio rei pediu aos cegos que tocassem o elefante e o descrevessem, um de cada vez.
O primeiro cego tocou a tromba do elefante e disse:
- É comprido, parece uma serpente.
O segundo tocou-o no dente e disse:
- É duro, parece uma pedra.
O terceiro segurou-lhe o rabo e disse:
- É cheio de cordinhas.
O quarto pegou na orelha e disse:
- Parece um couro bem grosso.
E assim, sucessivamente, cada cego descreveu o elefante de acordo com a parte dele que estava tocando.
Quando todos terminaram de descrever o animal, o rei perguntou aos sete sábios:
- Algum desses cegos mentiu?
- Não! - responderam os sábios em coro – Todos falaram a verdade.
Então, o rei perguntou:
- Mas algum deles disse realmente o que é um elefante?
- Não, nenhum cego disse o que é um elefante, mesmo porque cada um tocou apenas uma parte dele - disse um dos sábios.
- Vocês, sábios, que estão discutindo quem é dono da verdade, parecem cegos. Todos estão falando a verdade, mas, como os sete cegos, cada um se refere apenas a uma parte dela – disse o sábio rei, concluindo:
- Ninguém é dono da verdade, porque ninguém a detém por inteiro.

Do livro: Valores Humanos – a revolução necessária

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Há beleza nas pequenas coisas...



A vida não é feita apenas de defeitos, falhas e tristezas.

Há beleza até nas pequenas coisas.

Esforce-se enxergar a beleza que a vida tem.
Toda beleza que você admira é um ponto de paz que nasce em você.
Esse ponto de paz encobre o seu estado de aborrecimento e desperta a alegria.

Saiba viver.

Em tudo, admire a beleza.

Sua vida tem a beleza que nela você vê.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sete tipos de paz




Os índios Aymara, que habitam há séculos as margens do lago Titicaca, nos Andes, defendem a necessidade de sete diferentes tipos de paz.

O primeiro tipo de paz é para dentro de cada um de nós. Com a saúde de nosso corpo, a clareza de nossa mente, a satisfação com nosso trabalho, a alegria com a pessoa que escolhemos para amar. Sem paz consigo mesmo, não há Paz.

O segundo é para cima. Com o espírito de seus antepassados, com Deus. Se você não está em paz com o mundo sobrenatural, espiritual, com a metafísica de sua existência, sua paz está incompleta.

O terceiro tipo de paz é para frente, com o seu passado. Diferentemente dos homens brancos com sua arrogante cultura ocidental que põem o passado para trás, os Aymara o colocam para adiante, por ser o visto, o vivido, o conhecido. Quem tem remorsos, culpas, dívidas não pagas, arrependimentos , não está totalmente em paz.

O quarto tipo de paz é para trás, com seu futuro. Quem tem medo do que virá, está assustado com dívidas a pagar, se apavora com o que terá de enfrentar, com a possibilidade de más notícias, com emprego incerto, esperando más notícias, não está em paz.

O quinto é para o lado esquerdo, com seus próximos. Sem a paz familiar, não há paz. Desavenças domésticas, disputas, queixas, ranger de dentes com a família, o descontentamento com familiares e amigos próximos, tira o sentimento de paz.

O sexto tipo de paz é para o lado direito, com seus vizinhos. Não adianta a paz em casa, se do outro lado da rua estão a ameaça, a desavença, o descontentamento com a casa ao lado traz impedimentos para a verdadeira Paz.

E o sétimo tipo de paz é para baixo: Com a terra que você pisa, de onde virá seu sustento. Se você provoca a tempestade ou a seca, se o solo secar ou tremer, não haverá paz completa.

Se tudo é nossa projeção, depende apenas de você…